PRODIST - Módulo 2: Planejamento da Expansão do Sistema de Distribuição

04/08/2017

Continuamos nossa série de artigos voltada à desmistificar a legislação sobre energia. Este artigo é uma breve resenha e contém alguns comentários sobre o módulo 2 do Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional da ANEEL. Para compreensão dos termos, siglas e citações recomenda-se a dos artigos desta série e, claro, a integra dos documentos. Todos os links e fontes são clicáveis para facilitar o entendimento!

Clique nos links para acessar aos artigos do mesmo tema.

O módulo 2 do PRODIST está na sua 7ª revisão de 07/07/2016. O módulo é curto, 28 páginas, mas importante por padronizar as coletas de informações vitais para entendimento pleno dos cenários, tomadas de decisões e normatização dentro do processo legal. É neste módulo em que são definidas as bases para que as distribuidoras possam desenvolver estudos de previsão de carga, critérios de medição para caracterização da carga, tipo de estudo necessários para avaliar e definir as futuras configurações do sistema de distribuição e, por fim, define o conteúdo do documento Plano de Desenvolvimento e Distribuição - PDD que toda distribuidora deve elaborar e encaminhar a ANEEL decenalmente. 

Na 6ª revisão foi excluído o tópico 2.5 sobre Sistema de Informação Geográfica - SIG das distribuidoras que apresentava procedimentos relativos à estruturação, ao formato e à forma de envio das informações para a ANEEL. As informações detalhadas sobre esse tópico estão no módulo 6. Em geral os cálculos e detalhamentos são tratados no módulo 6

SEÇÃO 2.1 - PREVISÃO DE DEMANDA

Resumidamente:

  • Considera-se que as previsões e procedimentos visam o horizonte de médio e longo prazo. 
  • Salientaa necessidade de alinhamento da previsão com os planos diretores dos municípios e regiões e pedidos de fornecimentos préviamente solicitados.
  •  Declara obrigatoriedade às distribuidoras a manterem atualizadas suas informações sobre clientes e SIG. 
  • Deixa livre a escolha da métodologia do modelo de previsão a ser utilizado, porém esclarece que a ANEEL deve validá-la. 
  • Determina que a previsão deva utilizar no mínimo histótrico consolidade de 5 anos e o fator de potencia deve ser adotado com base em informações técnicas (medido ou em conformidade ao módulo 8).
  • Apresenta os requisitos para elaboração dos estudos de previsão de demanda no Sistema de Ditribuição de Alta Tensão (SDAT) e Média Tensão (SDMT).
  • Na previsão de demanda deve ser incluídas as estimativas de perdas bem como a instalação de pontos de medição nos SDAT e SDMT nas Subestações de Distribuição - SED (válido desde 01/01/2012) para apuração.

Comentário: Apesar da NR10 ter estabelecido a que Alta Tensão (AT) é acima de 1kV ou 1,5kV em corrente alternada e contínua, respectivamente, que Baixa Tensão (BT) é acima de 50V até 1kV em corrente alternada ou 120V até 1,5kV em corrente contínua, e que Tensão Extra-Baixa (TEB) é para valores abaixo de 50V ou 120V em corrente alternada e contínua, respectivamente, o PRODIST continua a utilizar a nomenclatura anterior que inclui a Média Tensão, conforme descrito no glossário do módulo 1.

SEÇÃO 2.2 - CARACTERIZAÇÃO DA CARGA E DO SISTEMA ELÉTRICO

Nesta seção está a estratificação que tipifica os consumidores e elementos do sistema de distribuição. Por exemplo, o SDAT deve ser classificado quanto a tensão, os consumidores ligados ao SDBT devem ser classificados quanto à sua característica (rural, residêncial, industrial...), assim sucessivamente.

Também apresenta técnicamente o método para cálculo de amostras, lista os critérios para caracterização da curva de carga e lista os documentos necessários para o cálculo da Tarifa de Uso dos Sistemas de Distribuição - TUSD, conforme estabelecido no Módulo 6.

SEÇÃO 2.3 - CRITÉRIOS E ESTUDOS DE PLANEJAMENTO

Toda subestação deve ser projetada planejamento de futuras expansões. Para SDAT essa expansão passa pelo aumento da demanda, crescimento da geração, além das melhorias operacionais, e esse planejamento deve base para conexções assessantes. Para os Sistemas de Distribuição e SDMT "o objetivo do planejamento das SED e do SDMT é definir a expansão dos alimentadores, a expansão das SED existentes e a localização das novas SED, compondo um conjunto de obras para atender o incremento de carga, observados os critérios técnicos, econômicos e ambientais" (p. 24). Por fim o planejamento para SDBT visa a expansão das redes secundárias segundo os mesmos critérios.

Os critérios e tópicos que devem ser observados nos planejamentos são normatizados quanto a apresentação no módulo 6.

SEÇÃO 2.4 - PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA DISTRIBUIÇÃO

Todos os documentos que são descritos e detalhados neste módulo comporão o Plano de Desenvolvimento da Distribuição - PDD. O PDD deve ser definido anualmente e entregue até o dia 30 de abril e contém:

  1. plano de obras do SDAT; 
  2. plano de obras das SED; 
  3. plano de obras do SDMT; 
  4. plano de obras do SDBT; 
  5. lista de obras realizadas no ano anterior; 
  6. análise crítica.

Ao profissional de elétrica cabe ter domínio para ler, interpretar, criticar e elaborar esses estudos técnicas. A EQUINOX Engenharia e Design entende que conhecer essas regras significa estar plenamente integrado e capacitado para desenvolver produtos e projetos de médio e grande porte no setor elétrico brasileiro.

Produzido por Marcos Alcântara